É Possível Amar e Não Sentir Desejo Sexual Pelo Parceiro/Parceira?                             https://www.revistacircuito.com/?p=21926

26/04/2017

É crescente o número de pessoas que buscam respostas em torno deste assunto.

Começarei esclarecendo a diferença entre paixão e amor.

Na paixão o foco está na aparência e corpo, não há muita vontade de conversas longas e sim a troca sexual, o relacionamento é mais a nível fantasioso e não há discussões reais dos sentimentos. Aqui falamos do desejo sexual, aquela parte puramente carnal do interesse do indivíduo.

Quando falamos em amor temos uma singularidade diferente, pois nesta fase há envolvimento de sentimentos com uma necessidade maior em saber o que a pessoa sente, o que a faz feliz e ser melhor, sente-se vontade de passar o maior tempo possível com esta, o diálogo é cada vez maior e melhor, deseja-se honestamente conhecer a família e amigos mais próximos.

Já foi comprovado pela ciência que o desejo desaparece após dois anos de relacionamento, por causa das mudanças biológicas ocorridas nos corpos dos parceiros. Diante disto, a paixão permanecerá por apenas este período, vindo a ser substituída após, por uma bela e longa construção, chamada amor.

E é durante esta construção, que pode aparecer o grande questionamento e conflito.

É Possível Amar e Não Sentir Desejo Sexual Pelo Meu Marido / Esposa - Parceiro/Parceira?

Sim,pode ser possível!

Comece se questionando:

*Como será que eram antes enquanto casal?

*Sexo era rotina na vida de vocês? Era prazeroso, contínuo e presente ou era confuso, tímido, sem jeito?

*Que papel o sexo tem ou tinha na vida de cada um separadamente?

*A perda é de desejo por sexo, ou desejo pelo parceiro ou parceira?

É muito importante entender primeiramente o que está acontecendo.

Problemas físicos ou psicológicos podem interferir no funcionamento adequado do desejo sexual e nem sempre a culpa é sua ou da outra pessoa.

Existem casais que vivem bem e sem sexo, ou com bem pouco sexo. Talvez, por se tratarem de pessoas que possuem a libido baixa ou com outros focos de prazer na vida, que por acaso se conheceram assim e seguem juntos da mesma forma. Porém há os casais, no qual, apenas um apresenta a libido diminuída e o outro por receber tantas negativas, acaba por desistir de tentar, e assim se acostumam sem sexo. A pessoa desanimada poderá no futuro desejar retomar sua vida sexual ativa e passar a cobrar reiteradamente, o que poderá levar a uma grande crise no relacionamento.

A libido está relacionada a vários fatores, e a falta dela é muito complexa. Quando nosso organismo está saudável e nossas emoções equilibradas, nos sentimos bem e o desejo sexual é normal. Autoestima elevada, conhecimento do próprio corpo e mente relaxada fazem toda diferença para o sexo ativo.

Se enfrentarmos problemas financeiros e profissionais, a vida sexual pode ter interferências. Causas externas podem também diminuir a libido, e interesse sexual, levando inclusive a preguiça para o sexo. Isso pode comprometer o relacionamento e afetar outras áreas.

Sexo é algo que faz parte de uma relação de casal, independente da quantidade. Faz muito bem, gera felicidade para ambos no relacionamento, proporciona bem estar, prazer e intimidade. É importante desejar e se sentir desejado. Assim como tantas coisas na vida, o sexo também deve ser aprendido, treinado e estimulado.

Sempre é bom descobrir as causas para estabilizar seu desejo.

O recomendável é que se busque apoio profissional - exames clínicos para a medição do nível hormonal e psicoterapia em casal ou individual.

Andreza Thans

Psicóloga Clínica / CRP 63405

Especialista em Psicoterapia Breve, Psicanálise, Coaching e Cogmed

andreza.thans@gmail.com