Terapia EMDR

14/03/2018

Conheça o EMDR: uma terapia para traumas relacionados à abuso sexual, sequestros, assaltos, medo de avião, agulhas, medo de dirigir, indicado também para o tratamento de depressão, síndrome do pânico, transtorno de ansiedade, distúrbios do sono e estados de lutos. A terapia permite o reprocessamento neurológico de lembranças difíceis e dolorosas. E isso é possível por meio da integração do conteúdo neuronal em diferentes hemisférios cerebrais. Com o EMDR criamos uma situação onde o próprio cérebro encontra um caminho de autorregulação. Por isso, é muito mais rápido que as terapias tradicionais. Casos complexos que envolvam medo, dor ou insegurança podem logo desaparecer.
Diferentemente das terapias tradicionais, onde a palavra é necessária para o relato dos fatos traumáticos, a técnica permite que os pacientes reprocessem em silêncio os acontecimentos que lhes causam vergonha ou humilhação. Mas atenção: procure um especialista devidamente habilitado para não agravar o problema. Para aplicar o EMDR, o profissional precisa ter conhecimento, prática e responsabilidade. Durante o tratamento, inúmeras lembranças e situações inesperadas podem surgir, e somente um profissional capacitado terá condições de lidar com determinadas demandas. Crianças podem se beneficiar da técnica, cujas únicas contraindicações são os quadros psicóticos agudos (esquizofrenia), e mulheres grávidas. O EMDR funciona como uma terapia cerebral, pois o indivíduo acaba refazendo conexões cerebrais, trabalhando novas sinapses que levarão a uma nova maneira de olhar os acontecimentos do passado. Reforçando a identidade e o desempenho através de emoções positivas, o EMDR não provoca amnésia nem o esquecimento de acontecimentos positivos associados a memórias traumáticas. Muito pelo contrário, os estudos têm mostrado que podem evidenciar emoções, pensamentos e comportamentos positivos associados com memórias positivas resgatadas por este procedimento.
A Associação Psiquiátrica Americana e a OMS recomendam o EMDR como um dos principais métodos da atualidade para o tratamento de situações traumáticas.